05/05
2014
[Look do dia]: Camiseta sob encomenda
Categoria(s) #Look do Dia, Moda, Parceria
Ana Farias

A Zocprint me convidou pra testar o serviço da empresa – que presta serviços gráficos e de marketing, disponibilizando impressão de material promocional que pode ser customizado rapidamente online: de cartões de visita e flyers a brindes variados (canetas, cadernos, chaveiros, etc), de capinhas de celular e porta retratos a adesivos de parede.

Foi difícil focar, porque, pensando no blog, eu queria de tudo: calendário, agenda, caneta… Mas resolvi experimentar o que achava que seria mais interessante pra vocês, como as camisetas. Encomendei uma t-shirt normal com uma frase, e uma baby look com desenho colorido. A segunda foi meio a contragosto porque tenho uma experiência péssima com baby looks, elas sempre ficaram curtas demais. Pedi também uma caneca, e aí não resisti: personalizei com o layout do blog (depois faço um post com ela, mas a foto tá lá no meu perfil do Instagram, @anaffarias)! Me arrependi de não ter feito a camiseta com meu desenho do blog também… <3

Minha ideia era testar o tecido, a impressão, e checar o tamanho das camisetas. Bom, o tecido é um algodão normal, comum em camisetas promocionais, mas bem razoável, e a impressão também passou no meu teste (só é uma pena que o desenho possa ter no máximo 25×30 cm). Adorei o resultado da baby look com o print colorido, ficou super legal!

camiseta zocprint

O único problema é que a baby look GG ficou igual um body em mim (enquanto que a T-shirt G ficou um pouco larga). O ponto positivo é que ela é longuinha, e não cropped como eu estava acostumada a encontrar. É um corte bem mais feminino do que o de uma camiseta, mas infelizmente não veste além do 44. Por isso chamei minha prima, que é manequim 42-44, pra fazer as fotos com um look que eu produzi (me sentindo).

Sobre o desenho, eu tinha visto uma camiseta linda de raposa (mostrei na fanpage), e me arrependi de não ter comprado na época. Daí quis algo parecido, com traços de ilustração infantil, e saí procurando imagens na internet. Até que encontrei essa no Pinterest (me sigam lá, adoro!). Adicionei a frase be cool no programa de edição que uso, e após salvar a imagem fiz o passo a passo do site pra personalizar a peça. É bem fácil, não tem erro. As camisetas, tanto a tradicional quanto a baby look, custam R$31 (com descontos proporcionais à quantidade do pedido).

camiseta customizada

look do dia

IMG_6959

IMG_6950

IMG_6962

IMG_6981

camiseta personalizada

Gostei tanto da Lorraine como modelete que contratei pra mais looks! rs Vou postar os primeiros ao longo da semana.

Ela tá usando meu colar da Sammydress, e o batom Trendy Twins para Tracta (à venda por R$17,50 no site da marca).



6 comentários
24/04
2014
[Look do dia]: Nude + tie dye
Categoria(s) #Look do Dia, Moda
Ana Farias

Pedi pra amiga Ana Carolina Fadel tirar essas fotos quando fui fazer a degustação da Redken no Werner, e embora o look não tenha absolutamente nada demais (me visto de maneira básica e com peças baratas, sempre), resolvi mostrar por causa de uma regra que eu tinha na minha cabeça, e que caiu por terra.

Sabem quando você pega uma roupa cheia das boas intenções, e no final, mesmo achando que assimilou a regra, acaba cometendo um erro que prejudica o próprio shape? Bom, talvez vocês não vejam muito claramente porque em todas as fotos estou de frente (quando a gente pede pra alguém tirar foto em evento, geralmente quer fazer rápido pra não abusar da boa vontade da pessoa. De frente é mais fácil da foto ficar boa). Mas vai dar pra entender mesmo assim.

1

Amo essa blusa da Dimpus, que é ve-lha tipo vovô jogando bolinha de gude. Experimentei outro dia com uma saia, e deu vontade de usar nesse dia (que tava muito quente e seria cheio: o dia todo na rua, e de lá direto pra BH, sem passar em casa). Queria então uma coisa meio estruturada, que desse pra eu parecer arrumada o dia todo. E confortável! Tô de salto, mas a sapatilha tava dentro da bolsa. ;)

E o problema é exatamente a blusa: o modelo é transpassado, e a faixa pega exatamente abaixo do busto. Sempre ouvi dizer que quem está acima do peso (ou tem pouca cintura) deve marcar a área mais estreita do corpo. Então, por exemplo, o cinto pode ser colocado acima do que seria a cintura, numa peça soltinha que desse a impressão de harmonia no todo. Ou seja, o corpo marcado onde é mais fino, e as gordurinhas (ou tronco reto) disfarçadas pelo tecido.

2

A questão é que existem gordurinhas e gordurinhas…

Pra quem tem o estômago reto, mesmo bem acima do peso, esse truque vale. Mas pra quem, como eu, tem o estômago alto, o tiro sai pela culatra: a marcação é feita exatamente no ponto que divide peito e barriga, que ao invés de ser disfarçada fica em evidência!

Foi o que aconteceu, e desde esse dia tô de mal com a blusinha! hahaha

4

Mas tudo bem, é errando que se aprende, né? Agora me dei conta que meu corpo mudou, e que a cintura precisa ser marcada mais pro meio mesmo.

Aliás, uma observação: sempre que apareço com vestido soltinho marcado com cinto, minha mãe diz que ficaria melhor se eu tirasse o acessório. Acho que, na cabeça dela, com o cinto dá pra se perceber tudo que está sobrando no corpo, e que se o vestido não estiver marcando vai cair melhor. Mas não é verdade. A pior coisa que quem está acima do peso pode fazer é não definir a cintura. O corpo da gente é como é; qualquer pessoa vai perceber na hora se a gente é gorda ou magra, não é roupa que vai mudar isso, é a balança! Mas se vestir com peças que favoreçam o nosso tipo físico fazem diferença na percepção do corpo, sim.

3

E é por isso que amo bolsas, gente, porque pra mim até sapato é um item complicado! hahaha

Com bolsa o único trabalho que a gente tem é decidir que combina com a roupa, e se cabe tudo que se precisa carregar. Ô, beleza! ;)



10 comentários
03/04
2014
[Enquete]: Camisa Xadrez é Hot or Not?
Categoria(s) #enquete, Moda
Ana Farias

Sou da época de ouro do movimento grunge, por isso camisa xadrez de flanela foi durante muito tempo um must have no meu armário. Lembro que tinha três da Renner (ou C&A?), todas lindonas, uma tradicional com vermelho e marinho, outras duas com desenho mais delicado em tons de creme (off white pra quem faz questão…), uma com linhas azuis, outra com linhas verdes. #saudosa

Colocava com short ou calça jeans, camiseta de banda que comprava caríssimas numa loja de rock (juntava a curta mesada por meses pra comprar uma!), botina ou tênis, e pronto – meu uniforme.

camisa xadrez

Como (o comércio d)a moda precisa estar sempre se renovando pra render dinheiro, e uma de suas características principais é o convencimento de que tudo que você usava no ano mês passado é tudo o que você nunca mais vai querer usar a partir desse ano (até que as opções escasseiem e seja gerado um revival de tendências), ela saiu de moda, se resumindo a peça aceitável em festa junina e ponto. Até que começou a ter uns comebacks, e de uns meses pra cá tem sido peça obrigatória em tudo que é lugar.

A Riachuelo, por exemplo, veio com uma coleção de outono-inverno bacanérrima, com muito xadrez interessante. Infelizmente, muito casaco pesado, que a maior parte do país quase nem aproveita (e por serem peças estampadas, nem sempre vale a pena comprar pra só usar umas poucas vezes). Mas tinha camisa de tu-do que é jeito por lá, com preços acessíveis.

Minha preferida é a que tem fundo vermelho e listras escuras, a mais conhecida mesmo. E apesar de ser um padrão que chama muita atenção, a peça pode ser bem versátil. Separei abaixo algumas maneiras de usar, com fotos da suíça Michèle Kruesi e da mexicana Adriana Gastélum:

1

Que tipo de erro a gente pode cometer usando estampa com jeans, né? Imagino que pouquíssimos. Pra tornar a combinação mais interessante, é legal ter uma peça diferente, como essa saia linda com corte de alfaiataria, ou uma tonalidade de jeans incrível. Outra combinação sem erro: parte de baixo lisa com cor que apareça no padrão da camisa (regra básica pra qualquer estampa).

2

Amarradinha na cintura. Ainda que eu ache um pouco adolescente, dependendo do seu estilo dá pra segurar mais além no tempo. E, como adiciona volume no quadril, ideal mesmo é que seja artifício pras longilíneas. Engraçado que quando eu usava assim era porque não tava nem aí, hoje é truque de estilo… rs

3

Pra quebrar um pouco a estampa, use com blazer, casaco, jaqueta, alguma peça extra em tom neutro que mostre só parte da estampa. Na foto eu acho que a Michèle tá com uma bomber xadrez, mas a dica serve com camisa também.

4

Outra sobreposição, mas dessa vez o xadrez vira só um detalhe mesmo: usado por baixo de pulôver tudo o que aparece é a manga e a gola. Como esse da Adriana é mais decotadinho, dá pra mostrar mais da parte de cima da camisa, achei tão charmoso! Meu look preferido entre esses que selecionei pro post.

5

Também dá pra fazer mix de estampas bem bacanas, lembrando que o segredo é manter nas duas estampas a mesma família de cores. Ou se fiar no olho mesmo (tem gente que tem tanto jeito pra isso!). Uma coisa que amo é xadrez com onça – parece que nunca vai dar certo, mas algumas vezes dá.

Pra quem acha que a combinação vermelho + preto é muito chegay, separei três looks da Adriana (ela é uma das rainhas do xadrez, vira e mexe aparece com uma peça nova) com outros padrões mais discretos:

tartan

A saia com tijolo + creme é um tartan low profile (o corte só não rola pra quem tem quadril muito largo). O padrão xadrez escuro é mais democrático. E xadrez mostarda + marinho é luxo puro!

Pra quem quiser mais inspirações, minha pastinha do Pinterest (Moda: Tartan | Xadrez) tá cheia!

Mas vamos à pergunta que não quer calar: pra vocês, camisa xadrez é HOT ou NOT?



14 comentários
26/03
2014
Looks plus size no Ateliê Daniela Lana
Categoria(s) #Mudança de Hábitos, Comportamento, Moda
Ana Farias

Levanto demais a bandeira de que a gente precisa fazer as pazes com o espelho e encontrar nossa beleza do jeito que somos HOJE. Claro que isso não significa defender que quem está acima do peso, por exemplo, deva continuar acima do peso! Acho que a gente precisa caminhar pra chegar onde queremos: seja emagrecer, seja engordar, seja ficar com o corpo mais definido, e por aí vai. Mas sem permitir que um detalhe de nossa vida seja o centro de nossa existência.

Porque somos muito mais do que um corpo, não é verdade? Somos mente, somos espírito, somos família, somos amor, somos trabalho, somos lazer, somos a maneira com a qual nos relacionamos, somos mães, filhas, irmãs, namoradas, esposas, amigas, e ufa, é tanta coisa que faz a gente ser o que a gente é! Por que focar em apenas um aspecto? O corpo não nos define.

E, apesar da quantidade de mensagens que recebemos diariamente defendendo o contrário, acreditem: existe beleza em todos os tamanhos, assim como existe beleza em todas as idades. Se ninguém fica jovem pra sempre, isso significa que ninguém pode ser feliz (ou belo) após os 30 anos? Da mesma forma, ainda que você acredite/saiba que fica mais bonita com cinco, dez, quinze, trinta quilos a menos, não faz sentido se privar de se sentir bonita do jeito que está agora – enquanto a dieta ainda está no início, ou mesmo sem intenção de começar uma. [E, mais uma vez: não estou falando de saúde física. Isso é assunto pessoal, que cada um deve resolver com a ajuda de um médico. Meu ponto aqui é o espelho, e somente ele.]

Por isso fiquei muito feliz quando a leitora Ana Carolina Caruso entrou em contato comigo, perguntando se eu gostaria de dividir com vocês aqui no blog algumas fotos que ela tirou no Ateliê Daniela Lana. Ela fez a modelo com roupas da loja, e sendo plus size achou que interessaria para um post. E sim, interessava muito! Adoro ter a oportunidade de mostrar como é possível se transformar pela roupa que usamos, como a moda pode levantar nossa auto estima.

Vamos às fotos, então!

moda plus size

Com a palavra, a bela Ana Carolina: “Sou sua seguidora há mais de dois anos, e diariamente venho dar uma conferida no blog! Acho maravilhoso você levantar a causa do plus size, pois sou gordinha e me amo muito do jeito que sou! Lógico, se eu emagrecer ótimo, mas me sinto tão bonita com minhas curvas que não faço disso uma necessidade. Há uns seis meses uma colega que tem um atelier, a Daniela Lana, me chamou para tirar umas fotos como modelo para ela. Ela vende roupas lindas, e o melhor: em tamanhos grandes! Se você quiser, pode citar isso no blog, porque tenho muita dificuldade de comprar roupas no tamanho 48.”

Tem coisa melhor do que mulher que se sente poderosa apesar do bombardeio de outras mulheres que dizem que ela não pode se sentir poderosa? Não é isso que fazem as editoras de moda, de beleza, e nós mesmas, conosco e com outras mulheres? Como ser feliz sem a barriga da Gisele Bündchen ou a bunda da Sabrina Sato? – é o que parecem dizer. Acima de tudo, acho que o que incomoda mesmo é o fato de existir uma Ana Carolina, que realmente se sente bem na própria pele, feliz e sexy, enquanto a crítica, ainda que mais magra, ainda que malhe o dia inteiro e viva de dieta, não consiga se sentir à vontade o suficiente com sua imagem no espelho.

Pois que as Anas Carolinas se multipliquem por aí, então, e se sintam felizes com elas mesmas! ;)

Sobre o Ateliê Daniela Lana, eu já conhecia. Estive lá no ano passado, e pude ver que a seleção de peças da Dani é bem democrática mesmo! Fiz um post até, mostrando algumas combinações (AQUI). Peguei então as fotos que a Ana Carolina mandou, e dividi os looks com sugestão de uso (baladinha, casamento, jantar com o love…):

1 look cinema

Plus size de bermuda no cinema (ou saidinhas diurnas): se sentir confortável aqui é tudo, né? Então sapatilha pra evitar tombos no escurinho (minha bff VIVE pagando esse mico, e de rasteirinha mesmo! hahaha), bermuda tipo alfaiataria pra ficar arrumada e despojada ao mesmo tempo, camisa amarradinha pra dar charme, e daí é só finalizar com acessórios bacanas.

2 look barzinho

Plus size de calça estampada no barzinho: sofisticação despretensiosa! O look é a calça, p&b lindo com zíper dourado pra arrematar. A sandália com brilho e saltinho deixa a combinação arrumada sem ficar chamativa – e, com essa intenção, manter a blusa lisa, em tons neutros sem muitas detalhes é a pedida. Arm party pra ficar mais gata.

3 look encontro

Plus size de vestidinho no encontro (que pode ser um drink com as amigas, um jantar com o amor, programas noturnos em geral…): acho que tem uma regra bacana que esse vestido segue direitinho (e que serve pra to-das): perna de fora, colo coberto. E vice-versa. É mais sexy do que sair toda decotada, até porque um pouco de mistério sempre chama a atenção! Na foto de cima, à direita, uma maneira de usar o vestido em looks pro dia a dia, com bolsa colorida – nesse caso com uma sandália baixa, ao invés desse pump preto incrível!

4 look balada

Plus size de total black na balada: separei um preto total (a bolsa tá grande demais pra ir pra night, mas é que as fotos não foram feitas com o propósito que dei a elas no post!), mas não por achar que a cor emagrece. O que “emagrece” é bom caimento! Adoro me vestir toda de preto, mas acho que as peças precisam ter elementos interessantes – brilho, aplicações diferentes… E muito capricho na escolha dos acessórios!

5 look festa

Plus size de tubinho na festa: pra momentos de festa, deixei esse vestido preto. A cor por si só não é exatamente festiva, mas as belas aplicações ajudam a transformar a roupa. Nesse caso nem é necessário usar muito acessório – uma clutch mais simples e um sapato poderoso, e você tá pronta pra causar em eventos mais chiques.

Pra quem gostou dos looks, a Daniela sempre tem uma seleção maravilhosa na loja. Pra saber valores, entrem em contato com ela pelo email daniela.g.lana@hotmail.com.

Obrigada pelas fotos, Ana Carolina! ;)



8 comentários
25/03
2014
[Enquete]: Hot or Not?
Categoria(s) #enquete, Moda
Ana Farias

Eu sei, eu sei. Já fiz essa mesma pergunta pra vocês: o que acham de saia midi? E a resposta da maioria foi um sonoro não vou, lembram? Bem, nem tão sonoro assim, vai (enquete AQUI e resultado AQUI).

Fato é que ganhei uma saia midi linda no final do ano, e fico buscando referências pra me inspirar. E não é que numa ida ao armário encontrei uma saia mimolet que comprei há décadas na Asos, e como ficou muito grande deixei esquecida na pilha da ida à costureira (coisa que existe chance de acontecer um dia)?

Na dúvida entre refazer a saia mantendo-a mimolet (que é aquele comprimento que quase chega ao calcanhar), tranformá-la em midi (vai um pouco mais abaixo do joelho) ou aproveitar o tecido pra fazer outra coisa totalmente diferente, fui catando umas fotos pra refazer a pergunta pra vocês: após esse tempo marinando, saia midi/mimolet é hot or not?

1 style pantry

2 harpers bazaar

3 harpers bazaar

4 harpers bazaar

O

Na verdade aí tem saia que é midi, tem saia que é mimolet. Às vezes depende muito mais da estatura da pessoa que usa do que da intenção do estilista, né? Mas digamos que a primeira e a última sejam definitivamente mimolet – embora tenham aparecido em busca de midi (acho que ou as pessoas confundem, ou desconhecem a diferença, ou simplesmente descomplicam chamando tudo que desce do joelho de midi, será?).

Mas, vamos combinar, seleção mara essa, não acharam não? Tem como não amar, nem que seja nas outras? Digam aí! ;)

Fotos: Style Pantry, Harper’s Bazaar e Bittersweet Colours.



12 comentários


Página 2 de 75«123456»