11/08
2014
Receitas de molhos salgados com frutas
Categoria(s) #Mudança de Hábitos, #Utilidade Pública, Comidinhas, Dieta
Ana Farias

Acho que quase todo mundo vem se preocupando mais com o que come ultimamente, né? E desde que isso não se torne uma obsessão, não existe o menor problema com isso, pelo contrário. Faz pouco tempo que me dei conta do quanto os anos e anos e anos de alimentação whatever (ou seja, o mais fácil, o mais barato, o mais perto, o mais alguém fez e não precisei ir pra cozinha) fizeram mal pro meu organismo.

Agora, correndo atrás do prejuízo, ando mais antenada em receitas saudáveis do tipo táno prato em no máximo quinze minutos, sabem como? Porque até gosto de cozinhar, mas essa obrigação de ter que fazer a própria comida todo dia é muita chatice.

Tenho uma pasta no Pinterest especial pra comidinhas do bem (AQUI), e tinha guardado nela uma imagem bacanérrima, do tipo de receita versátil que você só precisa combinar ingredientes de diferentes grupos. São molhos picantes de frutas (em inglês, fruit salsas) que funcionam como complementos pra carnes e saladas, e também como acompanhamento pra torradas, etc. Rápido de fazer pro dia a dia, e um super plus pra quando a gente for receber pessoas em casa.

Fiz uma tradução tabajara e colei por cima da imagem original (que está AQUI). Vale a pena imprimir e deixar à mão na cozinha:

receita de molho de frutas picante

A matemática é simples: misturar num recipiente um ingrediente de cada grupo. Assim, uma fruta pequena ou fatia correspondente + um alimento crocante + alimento do grupo do sabor + uma erva fresca + uma colher de dois elementos ácidos conforme combinados na imagem.

Alguns ingredientes da tabela não são encontrados facilmente, mas pelo que pesquisei dá pra encontrar quase tudo em lojas de produtos naturais ou bons horti-fruti.

Bem prático, né? Vou começar a testar. 😉



4 comentários
21/03
2014
#FF: Cozinho, Logo Existo
Categoria(s) #Mudança de Hábitos, Comidinhas, Dieta
Ana Farias

Pensem numa pessoa querida. A Manu Alves foi uma das primeiras pessoas que conheci por causa de blog. Lembram da febre de encontrinhos, nos idos de alguns anos atrás? Pois é, eu fazia vários, e neles conheci pessoas que acompanho (ainda que pelo feed do Facebook!) até hoje…

A Manu era dona do blog Mendigo Chic. Bom, ainda é! Mas não é ele que vou indicar pra vocês hoje (apesar do material super bom dele), e sim um outro projeto da Manu: o blog Cozinho, logo existo.

cozinho logo existo

A Manu era uma pessoa “normal”, ou seja, procurava se alimentar bem, mas sempre se dando ao direito a escorregadelas na vida culinária bandida. Um dia ela concluiu que a gente precisa comer pra se sentir bem, e que estava se alimentando de maneira errada. Então foi fazendo mudanças em seus hábitos alimentares por conta própria, até que resolveu se consultar com uma nutricionista funcional. Fez um exame super bacana que identifica intolerâncias do organismo, em diferentes níveis, a determinados alimentos (glúten, lactose, ovos, etc), e decidiu cortar de sua vida leite, aveia, fermentados e ovo (atenção, gente: após o resultado de exames e orientação de profissional competente!).

manu alves

Durante o processo de reeducação (alimentar e do paladar também, já que ela é fã de muitas coisas das quais resolveu abdicar, como vinho e cerveja), entrou em sua vida a paixão pela cozinha, o desejo de descobrir novas receitas, testá-las e compartilhá-las. Então, dessa nova filosofia e estilo de vida, surgiu o blog Cozinho, Logo Existo – união de culinária e nutrição funcional. A ideia é “mudar o comum, o fácil e o cômodo por algo que pode até ser mais complicado (no início), mas que vai te fazer muito bem”.

receitas saudáveis

Segundo a descrição do espaço, lá tem lugar “pra tudo: comida pra alma, pra curar coração partido e pra deixar a bunda em pé. Pra quem gosta de comer e ama cozinhar”. Como não amar essa menina? Só falta receita pra trazer o homem amado em três dias (mas quem acreditaria nessa? rs)!

Então fica a dica de hoje: seguir a nova fase da Manu, no blog, no Instagram (@cozinhologoexisto) e no Facebook. Espero que curtam!



4 comentários
17/03
2014
[Vida Sana]: Receita de pão sem glúten
Categoria(s) #Mudança de Hábitos, #VidaSana, Colaboração, Comidinhas, Dieta
Ana Farias

Os posts da tag #vidasana são escritos por Pri Matz (@priscilamatz no Instagram).

Amo provar ingredientes novos, especialmente os que não são acessíveis onde moro (Santiago do Chile), mas tenho consciência de que isso não é exatamente sustentável. Já pararam pra pensar que, no processo de importação/exportação de alimentos, o frete de um caminhão pode custar mais que o alimento em si? E no custo disso pro meio ambiente? Pois é… O jeito é me virar pra adaptar receitas com ingredientes fáceis de encontrar aqui, e com preços que caibam no meu orçamento.

Adoraria tomar diariamente o café da manhã da moda fitness, tapioca, mas aqui não tem. E quando se encontra pelo menos o polvilho, é polvilho de batata, não de mandioca – que, aliás, também se encontra muito raramente, importada da Colômbia e/ou congelada, e custa uma pequena fortuna! Sorte minha que trouxe um pouco em minha última ida ao Brasil, e pude fazer uma receita maravilhosa de Pão de Amêndoas que encontrei no blog Crème à la Crème, da Michelle Vargas, mineira linda que vive no Canadá (o blog dela é uma delícia de se ler, tem receitas ótimas e um belo toque feminino. Vale o clique!).

pão de amêndoas

Não é uma receita exatamente barata, mas é maravilhosa!!! Gostei tanto que por causa dela nem sei o que vou fazer quando meu polvilho acabar… já posso chorar? :/

A receita original levava farinha de linhaça, mas, como eu não tinha em casa, usei mais farinha de amêndoas no lugar. Fiz uma mudança no açúcar também: usei o integral ao invés do mascavo. Quase sempre dá pra improvisar quando o assunto é lista de ingredientes, então digo pra vocês não desistirem de copiar uma receita por causa dela!

Eu não tinha farinha de amêndoas, então aproveitei a dica da própria Mi e bati amêndoas inteiras no liquidificador (usando o modo pulsar até triturar bem, mas com cuidado pra não virar manteiga!). Se tivesse usado linhaça, teria batido as sementes junto. Taí uma forma de baratear custos! Aliás, acho sinceramente que dá pra fazer essa receita com castanha de caju também…

receita de pão de amendoas

receita de pão sem glúten

Cortei a bundinha do pão ainda quente e comi puro, tamanha era minha ansiedade pra provar. Depois de frio, fatiei e guardei na geladeira pra ir comendo durante a semana (algumas fatias eu congelei). A receita rendeu umas 16 fatias.

Esse é o melhor pão sem glúten que já comi na vida! Aliás, acho que posso dizer que é o melhor pão que já comi! Tem textura de pão caseiro mesmo, com cheiro e sabor de amêndoas, um espetáculo!



22 comentários
19/12
2013
[TV]: A verdade sobre o que você come
Categoria(s) #Mudança de Hábitos, Dieta
Ana Farias

Gosto muito de ver documentários ingleses sobre alimentação, porque (como brinco com uma amiga minha) os ingleses possuem o talento de fazer as pesquisas mais bizarras que a gente possa imaginar. Podem ver, o estudo mais imbecil citado em qualquer matéria de jornal tem 99% de chance de ter sido conduzido por uma universidade na Inglaterra. Claro que isso é uma brincadeira, e essa porcentagem é criação minha, mas fato é que eles sempre conseguem investigar as causas mais loucas – e provavelmente mais interessantes.

Mês passado comecei a acompanhar pelo GNT a série A verdade sobre o que você come (no original, The Truth About Food), produzida pela BBC há alguns anos. O objetivo dos estudos foi acompanhar 500 voluntários durante alguns dias, semanas ou meses (dependendo da pesquisa) pra estabelecer o que era verdade e o que era mito em se tratando de alguns pressupostos sobre alimentação.

O metabolismo influencia em ganho ou perda de peso? Tomar sopa ajuda a diminuir a fome? Comer como nossos ancestrais diminui o colesterol? Qual a melhor dieta para o bom funcionamento dos intestinos? Açúcar deixa as crianças hiperativas? Comer vendo TV engorda? As crianças param de comer quando estão satisfeitas? Fazer dietas detox faz diferença pro corpo?

Essas e outras perguntas foram respondidas nos seis episódios do documentário. Claro que não sou da área médica, então não posso opinar de uma forma mais profunda sobre as pesquisas. Mãns, como leiga, achei que tudo fazia muito sentido ali. Alguns exemplos dos assuntos abordados e das conclusões dos especialistas:

1. No episódio sobre emagrecimento, fizeram um plano de dieta de duas semanas pra um voluntário, a primeira rica em derivados do leite, a segunda bem pobre, e no final estabeleceram que a quantidade de gordura nas fezes dele foi de 100% a mais na primeira semana, representando um total de 3 a 4 quilos que ele deixaria de adquirir por ano só com esse tipo de alimentação. A suspeita é que os laticínios formem uma pasta que prende a gordura, liberando-a diretamente nas fezes ao invés dela continuar no sistema (mas pra quem quer emagrecer, claro, os derivados do leite devem ser light).

2. Sobre a crença de que beber água diminua a sensação de fome, isso é um mito: a água sem nutrientes passa rápido pelo estômago, então a saciedade é momentânea, não faz diferença. Quando bebemos junto com a comida a água é filtrada pelo estômago, só o que fica nele são os sólidos; já se a comida for em forma de sopa, a sensação de saciedade ficará por mais tempo, já que o líquido estará cheio de nutrientes (lembrando que pra quem quer emagrecer a sopa precisa ser light). Teve outro estudo sobre a necessidade de se beber dois litros ou mais de água por dia, e isso se mostrou desnecessário pra hidratação – o corpo é capaz de retirar água de vários tipos de alimentos, e o que a gente precisa de verdade é aprender a ouvir o corpo e beber água quando ele pede.

3. Observaram o dia a dia de duas amigas de biotipos diferentes que acreditavam que a alta e magrinha comia muito mais do que a baixa gordinha, e concluíram que a desculpa “não emagreço porque meu metabolismo é lento” não procede: a verdade é que a gordinha comia mais e se mexia menos. Logo, quem está acima do peso armazena mais energia do que consome – ou seja, precisa comer menos e se exercitar mais, sem mistério como a gente sabe.

Outras pesquisas mostraram que refeições à base de proteínas mantém a sensação de saciedade por mais tempo do que as ricas em carboidratos ou gorduras, e que dietas detox não fazem muita diferença pro organismo, pois ele possui seus mecanismos pra se livrar de toxinas – o ideal é manter uma dieta balanceada, equilibrada e variada, com muitos alimentos saudáveis e poucas guloseimas.

A ideia principal do programa é nos fazer mudar a forma como comemos, a partir de uma melhor compreensão sobre os alimentos. A verdade sobre o que você come passa no GNT.doc em dois horários: domingo às 16h, e segunda às 14h. Mas pra quem fala inglês tem no youtube também:

Episódio 1:

Episódio 2:

Episódio 3:

Episódio 4:

Episódio 5:

Episódio 6:

Pra ver cada uma das 40 pesquisas conduzidas pelos especialistas ao longo da produção da série, você pode clicar AQUI no site da BBC. Está em inglês também.



10 comentários
16/12
2013
[Vida Sana]: Trocas saudáveis para iniciantes
Categoria(s) #Mudança de Hábitos, #VidaSana, Colaboração
Ana Farias

Post escrito porPri Matz, a @mibeleza.

Fim de ano chegando, e todo mundo só pensando na ceia de Natal, né? E depois começa a contagem regressiva pro Ano Novo, e começam as listas de metas para 2014: emagrecer, mudar de emprego, casar… Acredito que emagrecer seja sempre meta-desejo número um das listas, pelo menos das femininas. Mas que tal mudar o foco em 2014? Ao invés de emagrecer, ser mais saudável?

Emagrecer pode ser uma mudança com prazo fixo, e muita gente termina desistindo no meio do caminho. Mas mudar os hábitos de vida é uma decisão que se toma para sempre! E, depois que se pega o gosto, a gente se sente melhor (menos dor de cabeça, melhor função intestinal, melhor disposição), e manter esse estilo fica muito mais fácil. Além do que acaba emagrecendo por tabela, ainda que a mudança possa ser mais lenta.

Meu post de hoje será sobre mais trocas saudáveis, especialmente pra quem está se animando a iniciar por neste caminho. São cinco propostas super simples e fáceis de se colocar em prática! Algumas dicas pra se começar a escolher melhor o combustível por corpo, e com isso mudar de estilo de vida:

trocas saudáveis arroz

E também farinha branca por integral, macarrão normal por integral (ou sem glúten), pão branco por pão 100% integral (ou sem glúten), etc. Acredito que todo mundo já saiba dessa, muita gente torce o nariz, mas é uma troca super importante! Os alimentos integrais são ricos em fibras, que melhoram o trânsito intestinal e mantém a saciedade por muito mais tempo.  Já os alimentos feitos com arroz branco e farinha normal promovem picos de insulina no sangue, gerando diminuição no metabolismo e auxiliando a promover a produção de gordura corporal.

trocas saudáveis BEBIDA

Normal, light ou diet, não importa: troque o refri (e o suco em pó, de caixa ou de lata) por sucos de fruta. O ideal é que ele não seja adoçado nem coado, para que o organismo aproveite as fibras das frutas. Mas, caso tenha dificuldade em se acostumar com o sabor, adicione um pouco de mel, de rapadura, de açúcar mascavo ou de estévia. Pra quem acha que tudo bem tomar refri se for light, o que realmente faz mal é uma combinação de ingredientes que nem de nome a gente conhece, e que, somados ao excesso de sódio e de açúcar ou adoçantes artificiais, se torna uma bomba!  Se fizer muita questão, estabeleça um dia da semana pra tomar uma quantidade específica (uma lata aos domingos, por exemplo). Com o tempo o gosto não vai parecer tão atraente, e você vai começar a esquecer do refri, sem nem notar!

trocas saudáveis batata

Nas porções corretas, e preparadas do jeito certo, a coitada da batata não é a vilã da dieta! O que não pode (ou não se deve) é enfiar os dois pés na jaca e comer uma porção gigante de batata frita com ketchup, mostarda e maionese todos os dias. Prefira a gostosa em versões cozidas ou assadas. E lembrem-se: 1) a batata frita que a gente compra na rua geralmente é feita em óleos reaproveitados, e 2) as batatas que a gente compra no supermercado são pré-fritas, e de batata mesmo tem muito pouco (são uma combinação de massa de trigo, muito sal e, pasmem, açúcar!).

trocas saudáveis AÇÚCAR

… ou rapadura, ou melado de cana, ou mel, ou açúcar de coco, ou estévia. Acho que nem é necessário explicar sobre o mal que o açúcar refinado faz, né. Então vou falar do que seria a solução mais óbvia pra substituí-lo: se você acha que a solução da vida é usar adoçante… está enganada! Evite ao máximo os adoçantes artificiais! Além do fato de serem super processados (e alguns comprovadamente cancerígenos), nosso cérebro não os reconhece e continua pedindo açúcar – e daí que a gente está comendo aquele docinho falso e termina já pensando no chocolatinho delícia que vai furar a dieta. A Carol tem um post ótimo sobre o tema no Fale com a Nutricionista.

trocas saudáveis DOCES

Parece impossível, mas não é. Durante o dia, quando pensar nos lanchinhos intermediários, troque as bolachinhas e pacotinhos em geral por frutas frescas + oleaginosas, ou frutas + iogurte. Escolha frutas bonitas e saborosas, monte os pacotinhos das oleaginosas, e ande sempre com vocês. Assim fica fácil trocar. Não importa a qualidade do pacotinho de bolacha ou lanche, sempre terá sido um alimento processado industrialmente.

É isso meninas, acho que é um bom começo para mudar os hábitos. E vocês, tem mais dicas pra compartilhar?



18 comentários


Página 1 de 71234567