24/08
2010
Sobre o tamanho do seu bolso
Categoria(s) Comportamento
Ana Farias

Quando eu era adolescente, nossa, eu fui uma dessas adolescentes revoltadíssimas, frustradíssimas e insuportáveis, sabem como? Bom, um pouco de exagero aqui, sempre fui carinhosa com meus pais, mas de vez em sempre era cheia das vontades.

Meus pais se mudaram de um bairro mais popular aqui de Niterói, onde morei dos 4 aos 13, pra um bairro em expansão na região oceânica, extensão de bairros praianos até hoje só de casas e alguns poucos prédios de no máximo 4 andares (como uma tiny mini Barra), cheio de condomínios de luxo. Então mudei de escola, deixei meus amigos de toda a vida pra trás. Algum tempo depois, quando eu já tava enturmada de novo, com novos amigos, meu pai decidiu que eu merecia ter uma “educação melhor”, e me colocou numa escola particular. Sétima série. Podem imaginar o horror de sair de uma escola pública pra um lugar cheio de patricetes e mauriçolas. Antes eu usava uniforme e kichute, e tinha um projeto de namoradinho que me olhava e dizia que eu era linda, sem nem ligar pra minha imensa monocelha de taturana. De repente olhava pros lados e só via surfista malhado e loiras oxigenadas com suas lindas roupinhas “de marca”. Eu não tinha roupa da moda, não tinha traquejo social, e, bom, resumindo, o bullying corria solto.

Um ano depois, já enturmada no “grupo dos cretinos” (aqueles que não são nem atletas, nem nerds, nem populares, nem músicos, nem bonitos/feios, nem religiosos, nem ativistas, e etc, então pra eles só sobra serem os piadistas), o problema deixou de ser a deprê da big mudança e passou a ser a deprê de não ter dinheiro pra acompanhar meus amigos, que viviam viajando pra casa de praia/serra, saindo todo fim de semana pra jogar boliche (não sei hoje, mas na época era caaarooo), dando festas em casas labirínticas. Calhou de ter uma crise financeira bem nessa época, e a gente ficou muito sem grana. Eu, ao invés de ser uma pessoa melhor e procurar compreender o lado dos meus pais, que se colocaram em, sei lá, vigésimo lugar pra poderem continuar pagando escola boa* e casa bacana, me tornei rebeldinha. E não é por nada não, mas me sinto tão mal com isso que hoje em dia se tem coisa que eu não suporto é adolescente rebeldinho.

Mas pra que essa trip down Memory Lane?

É que por acaso ontem fiquei colocando minha leitura de blogs de moda em dia, e acabei visitando outros tantos que não conhecia, e daí hoje fui fazer umas fotos numa loja de roupas baratex. Enquanto lá estava, me peguei pensando que houve época em que até roupa dessa loja era tipo coisa cara pra mim – não que fosse, necessariamente, mas é que a gente, como família, não era ligada em consumir roupa, a gente tinha o suficiente, sem se preocupar com moda. Isso só passou a ser uma questão na minha vida quando mudei pra tal escola de patricinhas oxigenadas**.

Claro que isso foi há mais de 20 anos (meodeols). Revista, só Capricho. Computador era uma caixona branca muito esquisita que ninguém sabia pra que servia e pouquíssima gente tinha. Então a gente não era inundada de informação de moda a cada pentelhésimo de segundo. Cosmético era outra coisa que não existia, só fui usar rímel na faculdade, e incolor (hahaha)! Agora é tanta infotentação que meo, fosse eu aquela mesma adolescente hoje, coitada da minha mãe. Tudo bem que a culpa é dela, que não me dava uns merecidos cacetes quando eu aloprava, né.

Então assim, vamos falar de hoje, que você chega na banca e tem seis mil revistas falando dos mesmos assuntos, e que quase todo mundo tem computador ou acesso a ele, e blog taí bombando muito a uma aba do Explorer pra quem quiser ler, e o bombardeio de info é frenético.

Blog é vitrine. Vitrine de todo tipo, pessoal, profissional, intelectual, pensem em qualquer pessoa que tem um blog, ela vai necessariamente se encaixar aí. Porque ninguém escreve pra não ser lido, todo mundo escreve pra colocar sua visão sobre determinado assunto pra quem quiser ler. Focando nos ditos blogs “femininos” (beleza, maquiagem, moda, comportamento), essa idéia de vitrine se torna mais clara ainda: é swatch de maquiagem, é comprinha, é look do dia. Essa vitrine, o blog, é uma ferramenta que possibilita conectar pessoas, e como é feita essa conexão, no caso dos blogs de beleza/moda, não é discutindo Proust nem Derrida (a não ser que dê na telha), é falando de opções de compra e de dicas de montação. E nem vou entrar no mérito de que isso seja futilidade, coisa da qual discordo totalmente, mas né, cada um com sua teoria de vida.

Em se tratando de textos que mostrem a experiência da pessoa com determinados produtos, e como a net graças a deus é democrática e qualquer um pode ter um blog, a gente encontra blogueira de tudo que é classe social, de tudo que é tamanho de bolso. Tem a que faz looks lindos só com coisa importada, tem quem mostra o que se pode fazer com nacionais baratinhos, tem a que mistura tudo. E isso vale de maquiagem à moda.

Eu tenho muita coisa fancy em termos de make, mas nadica de nada no armário. Só uma ou outra peça mais carinha, e mesmo assim nada caro demais. Porque por mais cara que seja, a maquiagem de luxo nunca será tão cara quanto uma roupa de luxo. E só a primeira eu posso me permitir, dentro de um certo limite. Roupa não. Então quando eu entro num blog high society, por exemplo, entro como se tivesse vendo um tapete vermelho do Oscar, ou um programa de viagens pra lugares exclusivérrimos, ou lendo aqueles perfis da Vogue: tá longe de mim, da minha realidade, e ponto final. Não vou ficar me desgastando com isso. Dá aquela pontada no coração, claro, e às vezes ouço o som de um violino solitário, mas ver o look carésimo de uma pessoa que pode pagar por ele não me faz entrar na paranóia de TER QUE TER IGUAL pra ser feliz. Nem sinto ganas de sair falando mal da pessoa, porque né, já dizia minha vó, quem desdenha quer comprar – eu quero comprar e super admito, sem problema, minha inveja é sadia, não me deixa mal nem me faz desejar o mal pra ninguém.

Aí vem o ponto central do post, que é uma coisa que eu queria dizer pra todas as cabecinhas jovens que, como eu quando não tinha ruga nem celulite, não podem ter todas essas coisas que a gente vê/mostra nos blogs: não fiquem tristinhas demais com isso. Uma certa frustração é mais que natural, mas não deixem isso comandar a vida de vocês. Idem pra todas que não são mais adolescentes e que também não podem gastar com luxo. A vida é muito mais que material, nem preciso ir por esse caminho. Mas é importante dizer que de nada adianta entrar numa nóia de ter que possuir tudo que outra pessoa tem, isso só traz dívidas, e, com elas, infelicidade (o contrário do que você tava procurando, certo?). E tem aquilo de ter cuidado com os nossos modelos: a gente não pode separar quem tem porque tem dinheiro sobrando de quem tem porque tá endividado até a morte, certo? E eu super me vejo facinha lá no primeiro grupo, do outro quero distância. 😉

Então, quéris, palavra de quem já fez muita palhaçada desnecessária: vejam todos os blogs, voltem nos que interessarem, pesquisem, perguntem. Mas não pensem na frase “tenho que comprar isso”, pensem em pegar o que está sendo mostrado como inspiração pra vida que vocês de fato têm. Vamos ser criativas, criatividade é amor, criatividade é vida! Transformem a sombra Dior numa Vult, e conheçam a fundo o armário que vocês têm – com certeza dá pra fazer muita brincadeira, mesmo que o look não fique idêntico ao da blogueira X.

Longe de fazer a politicamente correta aqui, hein, porque sou daquelas que acham que se dinheiro não traz felicidade então me dê o seu e seja feliz (eu disse, turminha dos cretinos). Óbvio que ninguém opta por ter pouco dinheiro, mas essa é a realidade da maior parte do mundo, e ninguém precisa levar isso pro lado pessoal (a não ser que sua questão seja com o divino). Só acho mesmo que dá pra ser feliz sem precisar comprar tudo que se vê. Eu trocaria todas as minhas maquiagens pro meu cachorro voltar a ter 12 meses, mas não dá, ele continua tendo 12 anos. Isso seria importante poder comprar, sabem, tempo. Claro que eu tô falando de mim, gente, da minha forma de ver as coisas, não quero regular o que é importante pra ninguém. Tudo isso que eu escrevi é importante pra mim – tô falando pra todo mundo, mas a partir do meu ponto de vista, sempre.

Finalizando, viva a vida que você tem, não a que você gostaria de ter. Trabalhar pra ter mais tarde é outra coisa, tô falando do aqui e agora. Fazer dívida por causa de ítens que não são relevantes pra se manter viva não é legal, e não tá na moda. Quem se deixa afetar e não tem dinheiro no final do mês pra pagar o cartão não pode culpar ninguém além de si mesma, hein? Depois do mal feito, não vale xingar lá a blogueira X! 😉

Enfim, me pareceu importante dizer isso, porque, por algum motivo, a gente tem muita adolescente visitando o TT. Bom, aqui vale tudo, vale o que vier, só não vale é me chamar de tia! 😉

* isso era mentalidade dos pais da época, no fim foi uma grande besteira, antes tivessem me deixado mais um ano na outra escola, cuja qualidade de ensino era muito superior.

** sem emissão de juízo de valor, só pra dar a imagem caricaturada da escola mesmo.



17 comentários
24/08
2010
4 Rapidinhas
Categoria(s) S.A.C.
Ana Farias

Gentes, queria falar rapidinho e sempre esqueço:

1 – pra quem me chama no twitter @anagemeama, eu perdi a senha, e não gosto daquilo, então não me achem a antipática, não, tá? Usei umas três vezes, queria apagar a conta, sempre esqueço. E quem cuida do @trendytwins é a Vivi.

2 – pra quem me chama no facebook Ana Farias, eu demoro anos pra entrar lá, por isso não aceito os pedidos de amizade rapidamente, ok? Novamente, não estou filtrando pessoas, é que minha conexão é péssima, e geralmente já tô logada no perfil do blog (só quem entra lá sou eu, mandem shovels no Farmville! rs).

3 – again, não estou conseguindo responder os emails acumulados. Fracasso total. Vou ter que tirar um dia só pra isso, mas no momento não tá dando.

Outra coisa que não tem nada a ver com internet, perguntinha pras paulistanas:

4 – alguém conhece um bom restaurante que tenha comida vietnamita? Vou dar um pulinho rápido na cidade e tô morrendoooo de vontade de comer laksa! Quem souber, please deixe a dica nos comentários????



24 comentários
22/08
2010
Meu secador star warstístico: Tany Photon Ceramic
Categoria(s) Cabelos
Ana Farias

Tá, sei que tô parecendo samba de uma nota só, mas assim, eu escrevo basicamente sobre experiência e dicas, e o que tá esquentando minha cabeça esses dias é o… cabelo, claro, meu cabelo semi-loiro novato e minha busca pra aprender a lidar com a novidade – em termos de adaptação à cor e aos produtos, principalmente sabendo que vou passar de novo por toda a química pra clarear mais o dourado. Tô reaprendendo a cuidar dos meus fios, então peço desculpas pra quem não tem esse “problema”, ok?

Mas hoje na verdade eu vou falar de uma coisa que serve pra todo mundo, que é o meu secador novo. Lembram que eu tinha pedido dicas pra vocês?

Então, acabei indo numa que a Vivi me deu, e comprei o Tany Photon Ceramic no Submarino. Tava com um descontinho (mas ainda assim achei caro, não tava acostumada a gastar tanto com secador), aproveitei. Adoro comprar nesse site, apesar de já ter lido sobre experiências negativas aqui nos comentários, nunca tive problemas. Tudo sempre chegou rapidinho, 2-4 dias, e estamos falando de endereço na roça!

Mas então, não gosto de ficar na dúvida e fiquei muito tempo (mesmo) pra escolher um modelo. Optei por esse lançamento da Tany – nem tão mais lançamento assim – mais pela boniteza do que por qualquer outra coisa. E também pela promessa de ventania, já que ele tem uma potência de 2100 watts. Além do que eu super tava na esperança do Han Solo vir dentro da caixa.

Bom, no começo eu tava achando que tinha jogado dinheiro fora, porque a escova ficou muito meia boca. Mas assim, eu não sou a melhor escoveira da região, então guardei a impressão pra mim. Até que outro dia teve o lançamento lá na City Shoes, e eu decidi que tava de bom tamanho ficar pagando 35 reais no salão (a secagem mais barata, e em dia de promoção) cada vez que tivesse um compromisso. Decidi separar uma hora inteira só pra isso – entendem o problema? Eu não disponho de uma hora inteira só pra secar cabelo, por isso queria o corte anterior, que secava sozinho e tava pronto pra sair. A questão é a falta de jeito pra coisa mesmo, e de experiência. Mas em nome da economia, lá fui eu.

O Photon Ceramic é lindo, não há dúvidas. Tava vendo uns embaçadinhos hoje e fiquei pensando naqueles caras que passam o domingo lustrando carro, sabem como? Bom, mas passei só a manga do moletom mesmo, não cheguei lá ainda. Ele é bem levinho, apesar de que depois de um tempo o braço desacostumado cansa um pouco. Quase não faz barulho, em comparação aos “normais” de salão, por exemplo.

A tecnologia LED, que faz com que ele pareça um lightsaber, é uma luzinha azul que sai do alto do secador. Segundo a empresa, ela permite revitalizar os fios danificados e tem ação bactericida – mas quando é a gente que seca, fica difícil direcionar a luz, e eu não consigo evitar de pensar num episódio de Millenium (ou era Arquivo X?) envolvendo um cirurgião que matava os pacientes furando eles com um laser… azul. Por via das dúvidas, deixo o LED desligado. 😉

Ele também tem a grade toda em cerâmica, e isso eu super acredito que agride menos os fios – mais do que isso, eu vi isso acontecendo quando parei pra fazer o trabalho direito:

Mil desculpas pelo armário aberto na primeira foto, mega feio, mas só reparei hoje quando tirei as fotos da memória da câmera. Que por sua vez está toda desregulada, então tá difícil tirar uma foto com a cor real do pico. Mas vamos ao que interessa: viram como os cabelos ficaram sedosos? Com o meu antigo as pontas ficavam espigadas e não formavam essas camadas, a parte de trás do cabelo ficava uó, nada lisa e beeeem ressecada, e em cima o cebolinha era to-tal. Agora só falta aprender a dar mais volume no franjão.

O que acho: antes eu queria secar como eles fazem no salão, dando aquela secada básica no cabelo todo, e depois partindo pras mechas. Na minha impaciência, separava mechas muito grossas também. E não tava usando os produtos certos. O que acontecia é que quando eu chegava na franja e nas partes mais problemáticas, os fios já estavam praticamente secos. E é aí que o resultado nunca era cabelo sedoso.

O que fiz diferente: sequei bem os cabelos apenas com a toalha, penteei, passei um protetor térmico (a única coisa que eu fazia), e já separei direto as mechas, em seções menores, e daí fui aplicando um pouco de mousse e secando. Aí o cabelo não secou antes da hora. O problema acho que foi só a falta de volume no topo, mas acho que foi porque dei uma prendida nele sem usar meu rolo gigante – além do que essa já é uma característica minha mesmo, o volume nunca se mantém por muito tempo.

E esse combo de produtos deu super certo: Shampoo Restauração Profunda da Pantene (amo!), Máscara de Hidratação Diária Óleo Reparação da Garnier Fructis (snif! meu último), Serum Disciplinante da Amend (falei dele AQUI), Mousse Gloss Charming (idem).

Extras: usei o Spray Gloss Charming pra dar brilho antes da última secada (apesar de não ser oleoso, quem tem cabelo com raiz oleosa tem que tomar muito cuidado pra só aplicar no comprimento), e finalizei jogando a cabeleira pra frente e usando o spray fixador da ASPA que agora vai sempre dentro da bolsa (AQUI).

Demorou, mas o resultado foi legal, não pretendo mais correr pro cabeleireiro toda vez que precisar de escova. :)

Só uma dúvida pra quem já é ás na escovação:

Alguém pode me explicar qual é a diferença desses dois bicos?

Outra coisa: tenho a impressão de que o jato dele não é tãããããoooo potente quanto diz ser. Não sei explicar, mas apesar de fazer o trabalho, acho que o vento não sai forte o suficiente. Aí eu queria muito que quem tem o mesmo secador entrasse em contato comigo, pra gente trocar figurinhas? Tenho medo de ter vindo com algum defeito e eu não saber dizer. :/



15 comentários
22/08
2010
Promo ShopLuxo + Guerlain
Categoria(s) Promos
Ana Farias

Fala sério, hein.

A sorteada aqui vai ganhar nada mais nada menos que um rímel Le 2 de Guerlain Waterproof!

Quer mais? Então tá. Vai poder escolher se quer receber em casa o preto ou o marrom. 😉

Sou fã de aplicadores gigantes, adooorooo, mas na hora do acabamento não dá pra pegar todos aqueles fiapinhos de cílio que ficam nos cantinhos, né? Quer dizer, dar até dá, só não é a coisa mais fácil do mundo, vira e mexe sai um borrãozinho. Aí que nessas horas um aplicador mais fino é ótimo, e esse pequenininho deve ser uma super mão na roda.

Quem ganhar me conta! :)

Pra se inscrever, idinha rápida ao hotsite Trendy Twins + ShopLuxo, clicando AQUI.

Resultado no próximo sábado.



20 comentários
22/08
2010
Blog City Shoes
Categoria(s) Evento
Ana Farias

Tinha assim muuuitooo tempo que eu não entrava na City Shoes, mas lembro que logo assim que comecei a trabalhar parte do meu salário ficava na loja. :)

Aí tem pouco mais de uma semana que entrei na loja do shopping aqui de Itaipu (bairro de Niterói), e dei umas bizoiadas. Coloquei os olhos numa bolsa e fiquei de voltar lá – porque vocês sabem, agora dou preferência pra comprar na promoção, quando o preço tá na chôn (#dona armênia). Coincidência que só prova minha teoria de que quando tem de ser será, dias depois recebi da Julinha Morales um convite pra ir no lançamento oficial do blog da City Shoes.

Foi na quarta passada, na loja do Botafogo Praia Shopping:


Ny (Blog da Ny), Monica (City Shoes) – peguei todas as fotos delas duas.
Eu, Ana Carol (HVAoff) e Julinha (Nosso Armário).

Lá fui eu ver a coleção Aquarela completinha e encontrar pessoas queridas. Daí aproveitei que tivemos um descontinho pra trazer uma bolsa linda pra casa, azul petróleo – tinha ficado de voltar pela nude, linda também, mas quando vi a azul soube que era minha. Olha ela aqui embaixo, ao lado da clarinha (tem amarelinha pastel também, um amor):


Fernanda (So Shopaholic), Mônica e Joana (F-utilidades).

Trouxe a azul mas ando numa fase muito nude, apaixonada por todos os tons possíveis de bege. Pra quem tá assim como eu, muita muita opção na loja:

Num universo paralelo e ideal, tenho todas essas bolsas!

Esse modelinho de bico arredondado eu amo:

Paixão unânime foi o oxford com texturinha escamada, muito fofo. Abaixo, nas mãos da Thereza (Fashionismo), e ao lado o modelo vazado, com a Verônica (De Vestido):

Amei ele rasteirinho assim!

Mas o que eu gostei mesmo foi de ficar observando as meninas experimentando tudo. Meias lindas!

Vale a pena fazer uma visitinha à City Shoes, viu. Aliás tô querendo bem voltar lá pra experimentar o oxford, ver se orna comigo. Nos pés da Aninha Carol ficou lindo. :)



Comente


Página 406 de 687«402403404405406407408409410»