15/08
2012
Ainda sobre o mecanismo do estresse
Categoria(s) #Mudança de Hábitos, Comportamento
Ana Farias

Na semana passada fiz um post falando de parte dos sintomas que a gente precisa ficar de olho pra entender como o estresse funciona e como pode nos detonar física e emocionalmente. Algumas deram dicas, outras pediram, então vou contar pra vocês algumas delas.

Primeiro preciso admitir que tô muito no início dessa luta, que tem coisa que eu sei que deveria estar fazendo mas não estou, enfim, não vou chegar aqui cheia de certezas e palavras de ordem quando na real ajo diferente, né? É todo um processo! rs

A Pri Matz lembrou que tem médico que coloca a culpa de tudo de mal no estresse, como se ele fosse a caixa de Pandora, quando na verdade é um ciclo vicioso: ele pode desencadear muita coisa, mas também tem um monte de coisa que desencadeia o estresse.

Então não adianta culpar só a causa ou tratar só a consequência, daí o problema ser muito mais difícil de lidar do que algumas dicas de vida saudável possam dar a entender. :/

No meu caso, um belo dia acordei super animada pra mudar de estilo de vida, daí aconteceu uma coisa muito barra pesada que me jogou num atoleiro de tristeza, de antecipação de dor, de revolta com o universo, enfim. Não é que minha intenção de mudar e de melhorar por mim tenha mudado, mas na hora o que gritava muito mais alto era o amor que eu sinto por outra pessoa. E isso fez com que eu desse um passo pra trás, é claro.

Ou seja, às vezes a gente reconhece onde está o problema, quer se mexer, mas resolvê-lo deixa de ser prioridade – pelo menos por mais algum tempo. E no meio da história acaba descobrindo força onde não esperava encontrar, e é isso que faz a gente voltar mais forte pra lidar com as próprias aflições.

Algumas dicas que posso dar que estão começando a funcionar comigo:

– Colocar o sono em dia: quem trabalha em casa ou não tem uma rotina de escritório sabe o quanto é difícil manter os horários. Nas últimas semanas, não importa a urgência do que tiver pra resolver, ou a vontade de ver um seriado, não fico mais no computador ou na tv depois de meia-noite. Já estou começando a sentir sono às 23h, e acordo antes das 8h, sem ter precisado esperar o despertador.

– Entender que até diversão tem limite: quem não queria viver um eterno Ferris Bueller’s Day Off? Mas não dá, gente. Principalmente quando a gente fica menos novo, sabem, o corpo não perdoa. Essa foi a dica da Fernanda, que trocou as baladas pesadas dos findes por um vinho com as amigas, ou aproveita pra relaxar vendo tv. Claro que não é pra virar ermitã, mas poucos aguentam o ritmo de festa sexta e sábado todo final de semana. Uma hora o físico cobra.

– Aprender a dizer não: isso eu venho colocando muito em prática nos últimos dois anos. Gosto de me disponibilizar pras pessoas, e muitas vezes fazia alguma coisa que não queria pra evitar discussões que achava desnecessárias. Hoje tô muito mais Saraiva, meu limite diminuiu muito. O que antigamente as pessoas precisavam repetir durante dois anos até eu tomar uma satisfação, só aturo duas vezes. Pra evitar a perpetuidade da reincidência, adotei a lei da antecipação do terceiro strike, porque tudo que acontece duas vezes acaba acontecendo três, e quando acontece três, já era, vai acontecer sempre.

– Aceitar a falta de controle: control freak que se preza precisa resolver problemas antes que eles aconteçam. No campo profissional a gente não tem como escapar disso, porque planejar e se preparar pra situações inesperadas é condição pra ser bom no que se faz. Mas vamos manter isso no trabalho? Será que ele/a vai ligar, será que ele/a vai entender, será que ele/a vai me perdoar, será que a gente vai namorar, será que a gente vai se separar, será que eu vou ter filhos… tudo isso foge do nosso controle, quase sempre não é de solução imediata, e não adianta ficar rolando na cama pensando em mil desdobramentos pra história porque isso não resolve nada, só traz mais ansiedade. Esse eu tô começando a manejar! 😉

– Separar um momento pro relax todo dia: pode ser ler uma revista feminina, ver uma comédia boba, aproveitar a hora do banho pra se cuidar (água quente escorrendo pelas costas é tu-do!), colocar as pernas pra cima por 15 minutos, fazer alguns exercícios leves de alongamento, nadar, caminhar sem destino, enfim, o que funcionar pra você. E pra quem pode, uma sessão de massagem por semana ajuda muuuuitooo, hein gente. Se não puder pagar um profissional, peça pro bofe. Se não tiver bofe, aprenda alguns movimentos de auto massagem – afinal quem não tem cão caça com gato, né!

E duas coisinhas que ainda tô começando a colocar em prática:

– Saber se perdoar: a Marcela lembrou o quanto é destrutivo ficar se culpando infinitamente por causa de algum erro. “Já não fico 24 horas de bode porque fiz merda no trabalho. Eu anoto pra nunca mais fazer o mesmo, fico de bode na hora mas toco em frente”. Às vezes me bate uma vergonha gigante de alguma coisa que fiz há dez anos atrás, e gente, não dá pra viver assim! Falou ou fez besteira, principalmente se soube reconhecer e fez o possível pra consertar, beleza, next crap, porfa!

– Mudar o estilo de vida: essa é principalmente pras sedentárias (vergonha de dizer, mas oi?). Não há dúvidas de que uma alimentação mais saudável e fazer uma atividade física ajuda demais a liberar o estresse. Sobre o último, a Monica citou que a coisa mais relaxante na opinião dela é malhar pesado na musculação: “e se você conseguir desligar por meia hora a uma hora e prestar atenção nos seus exercícios, serve de higiene mental. E quando chega de noite você dorme como bebê. Fora os benefícios óbvios, né?”. Palavra de quem se sentia muito melhor quando seguia essa dica!

Trabalho de formiguinha, baby steps, mas um dia o corpo agradece! 😉

Imagem



32 comentários
Comentários
32 comentários em "Ainda sobre o mecanismo do estresse"
  1. 1. silvia
    15/08/2012

    Querida não tem a ver com o poster, mas quero saber como faz para ficar recebendo por email os posters novos, pois eu procurei e não encontrei esse mecanismo.

    Tambem queria de perguntar sobre pó, você falou que esta usando o da Dermage fps 50, mas acho que você já usou o Heliocare e por isso queria saber sua opinião qual dos dois você gostou mais?

    Eu tô em duvida entre os dois, sei que são diferentes, um é pó e o outro é cremoso, tenho pele oleosa e sensivel.

    • Ana Farias
      15/08/2012

      Silvia, tudo bem? Primeiramente obrigada pelo interesse, viu? Pra receber os posts por email clique no envelope logo acima da minha foto no “quem escreve”, ok? Quanto ao pó, eu gosto demais do da Dermage, e gosto do fato dele não ser cremoso. beijo!

  2. 2. Monica
    15/08/2012

    Monica, a emocionada!!! :)

    • Ana Farias
      15/08/2012

      <3

  3. 3. Bia Martins
    15/08/2012

    Ai Ana, bem que eu queria ter 30 minutos só pra mim! Mas me ensina como faz quem trabalha 9h por dia leva 1:30 pra ir e mais 01:30 pra voltar do trabalho, com um filho de tres anos pra cuisar e separada! uowwww explodeeeee!!! né?

    • Ana Farias
      15/08/2012

      fia, pra quem é mãe não tem jeito! Pegue uns 10 minutos embaixo do chuveiro e relaxe o possível! rs

    • 4. Monica
      15/08/2012

      Putz… o tempo no trânsito, qnd a gente faz as contas dá vontade de matar um. Deve ser o tempo mais desperdiçado na vida das pessoas… Sou carioca, morei no Rio a vida toda, da casa dos meus pais ou da minha qnd casei, era isso 1:30 a 2h pra ir e outro tanto igual pra voltar e achava isso normal… qnd viemos morar em São Paulo, meio q por sorte, ficamos a 20 minutos do Centro e tenho a facilidade de fugir da hora do rush. Quanta diferença!!! Apesar de sentir falta de quase tudo do Rio, qnd penso no deslocamento pro trabalho, foi um ganho gigante em qualidade de vida.

    • Ana Farias
      15/08/2012

      olha, nem fala. Trânsito é uma coisa que me dá vontade de chorar, pq não tem o que fazer.

  4. 15/08/2012

    Aprender a dizer não é tão complicado, Ana, mas aos poucos eu tô conseguindo. Lembro-me de ter saído muitas vezes cansada, só pra agradar uma amiga q queria encontrar um paquera num barzinho, por exemplo. Me colocava em segundo plano, sabe? Acho q n precisamos ser egoístas e só olharmos pro nosso próprio umbigo, mas de vez em quando é bom parar e pensar: pera, é isso realmente q eu quero? Agora digo não, explico e se a pessoa tiver maturidade suficiente vai entender. Se n tiver, paciência, um dia entende.
    Tô amando esses posts, essa troca de experiências nos comentários são tão boas. Ta aí o diferencial do seu blog. Fala de unha, fala de roupa, de cabelo e zilhares de coisas mas fala da coisa mais importante: do seu humano, da nossa tentativa em ficar de bem com a gente.
    Continue fazendo esses posts, claro quando sentir necessidade de falar sobre. Saiba que tem gente q lê, q curte, q comenta e depois reflete sobre isso, tá?
    Bjos

    • Ana Farias
      15/08/2012

      eu tb, a Bia Maia outro dia disse que acha que eu encontrei finalmente o tom do blog depois de ficar sozinha aqui, e sabe que eu tb acho isso? Sempre gostei mais desse tipo de post, desse tipo de contato, de partilha. Enfim, que bom que tem quem goste, pq eu tô adorando! 😉

  5. 6. Herica
    15/08/2012

    Amei o post..to nesse mesmo processo..aprender a falar não foi uma coisa imprescindível q não me ensinaram na infância :) beijoss

    • Ana Farias
      15/08/2012

      só aprendi bem depois dos 30, então vc tá bem na fita! 😉

  6. 7. marcela de vasconcellos
    15/08/2012

    Onde eu cobro os direitos autorais??? rsrs

    Acho que uma outra boa dica é que toda mudança leva tempo. Não adianta ficar se policiando a cada pequeno revés da vida para não explodir. Na verdade, explodir, soltar meia dúzia de palavrão cabeludo e sair batendo pé ás vezes é a solução. Ficar guardando tudo pra depois cria rugas, dá cancer e stressa mais ainda.

    Óbvio que não dá pra virar a Deusa do piti, mas também não dá pra ofercer ao mundo uma versão sua que não existe, uma rocha inabalável que está na verdade ruindo por dentro.

    O grande segredo, e parte mais difícil, é não dar as coisas mais importância do que elas na verdade tem, além de criar alguns hábitos legais, conhecer seu corpo e os sinais de perda de controle e tocar a vida não importa o que aconteça.
    Ah, e vamos para de lutar contra aquilo que nunca vai nos deixar ganhar. Eu reclamava das duas horas de trânsito matinal pra fazer os 15 km até o trabalho, agora eu me mudei e 20 minutos andando me levam até minha mesa. Sou outra pessoa, durmo melhor, meu humor tá menos pior e tenho muito mais enegria a noite porque não fico sacudindo e dormindo num ônibus depois de um dia de trabalho.

    Eu tô trabalhando nisso de “desestressar” desde os 17, meu próximo passo é começar as tão prometidas caminhadas matinais. Quem sabe um dia a gente ganha? Já estamos bem melhor do que éramos…

    • Ana Farias
      15/08/2012

      Marcela, tô correndo de cobranças! rs Mas ó, eu sinceramente tenho problema sério com gente que dá piti, sabe. Parece criança que não consegue o que quer e bate pezinho fazendo beicinho.

  7. 8. Monique
    15/08/2012

    Stress é coisa séria, nós vivemos num ritmo alucinado, tudo é pra ontem! Sou arquiteta e trabalho em dois empregos e ainda faço pós graduação. Estou buscando dormir bem (7 a 8h) e ter um momento relax quando dá (não é todo dia), mas se não faço isso meu corpo já vai logo avisando e eu começo a passar mal!!!

    • Ana Farias
      15/08/2012

      tá doido mesmo, a gente tem que ser cinco por dia, não dá né!

  8. 15/08/2012

    Adorei o post Ana,eu sou mega estressada,me cobro demais e o resultado de todo esse estresse em mim foi depressão,mas que está sendo devidamente tratada.Todas essas dicas ajudam e muito a controlar esse estresse,no momento só não consigo ainda me perdoar.Bjs

    • Ana Farias
      15/08/2012

      depressão é outra coisa que a gente tem que ficar muito de olho! Às vezes um remedinho e terapia são muito necessários, e muita gente desmerece. 😉

  9. 10. Aline
    15/08/2012

    Tenho mt problema para dormir… Além de ser superrr ansiosa, trabalho em turnos. Sao 3 horarios diferentes num intervalo de 12 dias(começa uns dias de manha, depois trabalho a tarde daí mudo para noite) e depois tiro 5 dias de folga..Sim os dias de folga parecem uma maravilha, mas tb acaba comigo dormir num horario de gte normal e depois trabalhar num horario de gte louca kkkkkk…

    Tento fazer exercícios sempre q posso, pq acho q me ajuda mt a relaxar e dormir melhor (principalmente se eu conseguir dar uma corridinha de leve,beem leve msm já me ajuda)
    Acho q o mais dificil pra mim é deixar de ser control freak!! ACABA comigo essa ansiedade, nao durmo, nao como direito, e junta com a minha incrivel (só q nao) TPM e afeta totalmente minha qualidade de vida!! Mas né, como vc disse trabalho de formiguinha mas chegaremos lá! :)

    bjosss

    • Ana Farias
      15/08/2012

      Aline, a pior coisa que existe é não ter uma rotina de horários. Sempre trabalhei sem rotina, pq como professora os horários eram diferentes todo dia, cada dia tava num lugar… por pior que seja fazer todo dia a mesma coisa, o corpo acostuma com o ritmo e a gente acaba sofrendo menos. beijo!

  10. 11. Paula Carolina
    15/08/2012

    Ana, eu ia escrever no outro post, ia ficar gigantesco, se esse acabar ficando vc não briga comigo?? auisaihs
    Tive crise de stress no carnaval do ano passado, uns dias depois do stress eu comecei a ter dores de estômago, vomitar e sentir meu corpo tão moído q eu não conseguia levantar. Fui para um gastro e ele me deu um sermão enorme, mas enorme mesmo!!
    Fez eu contar minha rotina q na época era o tcc meu estágio e meu filho, estudando em outra cidade e tal!
    Falou q eu era mto nova pra estar daquela foma, que eu tinha q me cuidar e etc! Tinha 24 anos. No fim do ano, depois de ficar desempregada e com o tcc na mão pra fazer+ parcelas do meu ap pra pagar foi ficando tenso! Consegui emprego em outra cidade e a corria aumentou….
    O tcc foi um sucofo..levei 2 anos com as reprovas para conseguir, um dia antes da apresentação (depois de dias dormindo umas 3h por noite, coisas dando errado, tudo q podia dar errado deu) comecei a passar mal, frio, calor, tontura, pronto tive outra crise no outro dia não conseguia me levantar da cama fui para o hospital tomei 2 injeções e um diazepan, fiquei grog demais dormi até o fim da tarde e comi e fui apresentar meu tcc!!!!
    Foi td bem, passei, sou bibliotecária agora!!!!!
    Mas me assustei muito, tive 2 crises em menos de 1 ano, estou numa fase crítica mais uma vez, outras coisas, mudança na vida.
    Minha alimentação é ok, mas sou sedentaria e amo dormir tarde.
    Já fiz a avaliação física, mas vou começar no mês q vem pra por as coisas em ordem primeiro e me programar direitinho com a minha nova rotina.
    Eu vi oq o stress fez no meu corpo nas 2x, tenho 26 anos, um filhote de 9 e não quero q isso acabe comigo e com ele tbm!
    Precisamos nos cuidar, nos colocarmos a frente de algumas coisas e pessoas, por mais q seja difícil ainda mais em certos momentos e estou decidida que vou me cuidar mais, já comecei a com a minha mente e voltei a ler vários livros parei d eler uns blogs mais inúteis e tô me concentrando em leituras mais úteis. A alimentação eu quero melhorar ainda mais, quero ir em uma nutricionista para ter alguma orientação, mas meu pesso está até abaixo e ok.
    Falta cuidar do corpinho para relaxar e deixar td em ordem! aiusaius
    Beijos Ana, seu blog é um dos poucos que vale a pena ler post grande e fazer comentário gigantesco!

    • Ana Farias
      15/08/2012

      olha, primeiro se cuida porfa, segundo AMEI que vc tenha cedido um tempinho pra me contar sua história, viu, pq isso é coisa que pra blogueira não tem preço! um beijo grande e muito obrigada!!!! 😉

  11. 15/08/2012

    Essa vida estagiaria/estudante/projetodeextensão é tensa. Acabou comigo no ultimo semestre.
    Mas fiz 3 coisas que me ajudaram muito:
    1- Volto a pé do metrô pra casa ouvindo música. Dá uns 30 minutos de caminhada lenta. Nem é proposta de exercicio físico, é momento passo a passo, em que meu corpo e mente ficam em sincronia.
    Antes,eu ia de onibus. Tem um onibus que intercalava minha casa ao metro, coisa de 5 minutos, mas esses 30 minutos de caminhada tem feito toda diferença na minha vida. Venho pensando nas coisas, pra não pensar nos problemas na hora de dormir. O que fazia constantemente.
    2- Coloquei umas prateleirinhas no banheiro e coloquei velas. TODOS OS DIAS TOMO BANHO A NOITE NO ESCURO, SÓ COM AS VELAS. Me sinto num spa e me custou 15 reais. hsuahsuahsua
    3- Peguei menos matérias. A questão é assumir o NÃO DOU CONTA DE TUDO. NÃO DÁ PRA MIM. Estou indo bem e meu corpo vem agradecendo.

    Fora a alimentação que mudou 100%.Mas aí já outro assunto.

    • Ana Farias
      15/08/2012

      meu deus, tenho preguiça até de acender velas! hahaha Mas vc me deu uma boa ideia! 😉

  12. 15/08/2012

    Sabe Ana, quando dizem que o estresse é o mal do século, acho que é a desculpa para pesquisas um tanto quanto “rasas”. Se vc tem irritação na pele, falam que é estresse. Cai o cabelo? Estresse… Pele ressecada??? Estresse na certa!

    Existe todo um histórico motivacional por trás disso… É preciso aprender a se conhecer melhor, respeitar os próprios limites e o próprio tempo. Uma das melhores dicas que vc deu é aprender a “Dizer Não”. Isso impede que as pessoas só te procurem na hora que precisa, pois vão pensar bem antes de te “explorar” kkk

    Beijos, Carla.

    • Ana Farias
      15/08/2012

      estresse is the new virose! hahaha

  13. 14. Bia Maia
    15/08/2012

    Sabe, Ana, não acho certo você colocar uma câmera no consultório da minha terapeuta e fazer da minha última sessão um post! hahahahaha aloka!!
    Esse negócio de saber se perdoar e parar de ser control freak é uma coisa que eu preciso muito aprender, credo, ninguém merece sofrer horrores com cada frustração. Meu deus, como mudar é difícil!!! Querer é um passo importante, né, e com baby steps a gente vai chegando mais perto…tô vendo que o post fez o pessoal refletir, que bom! Meu próximo passo é tirar a bundinha do sofá e fazer algum exercício….coragem!
    Beijo!!

    • Ana Farias
      15/08/2012

      nem fala, somos duas! E não… não coloquei câmera, tem anos que não piso na sala de um terapeuta! rs É aquilo que a gente tava conversando por email, os nomes mudam, os problemas são os mesmos! rs

  14. 15. Priscila
    15/08/2012

    adoro ver como nossas conversas ganham vida em posts variados… 😉

    • Ana Farias
      15/08/2012

      né? 😉

  15. 16. Thalita Andrade
    15/08/2012

    Cheguei aqui fazendo uma busca no Google, li todo o post, e o que me trouxe foi apenas a parte final, sobre “merda no trabalho”. Não foi nada escatológico, isso também não tem a menor importância agora. Eu não sei em que parágrafo ou palavra aconteceu, mas durante a leitura eu percebi que independente das consequências eu odeio errar, e o pior, odeio por puro egocentrismo… Mas, tudo bem, vou superar rs. E aproveitando, vou acompanhar o blog, gostei do seu texto, parabéns.

    • Ana Farias
      15/08/2012

      Obrigada, Thalita, seja bem vinda!

Deixe o seu comentário:
Os comentários são moderados apenas para evitar comentários agressivos, ok?
Estes serão deletados sem dó nem piedade! ;)